• Marcio Oliveira - Vinoticias

“BACO EM RÍTMO DE CARNAVAL”

As origens do carnaval têm sido buscadas nas mais antigas celebrações da humanidade, tais como as Festas Egípcias que homenageavam a deusa Isis e o Touro Apis. Há quem diga que as primeiras manifestações ocorreram na Roma dos Césares, as Saturnálias, de caráter orgíaco. Contudo, Momo é uma das formas de Dionísio - o deus Baco, patrono do vinho e do seu cultivo, e isto recua a origem do carnaval para a Grécia arcaica. Os gregos festejavam com grandiosidade nas Festas Lupercais e Saturnais a celebração da volta da primavera, que simbolizava o Renascer da Natureza.

Sempre uma forma de comemorar, com muita alegria e desenvoltura, os atos de alimentar-se e beber, elementos indispensáveis à vida naquela época e nos dias de hoje.


Com o nome de Carnaval, a festa surgiu, no século XI, com a implantação da Semana Santa pela Igreja Católica, antecedida por quarenta dias de jejum, a Quaresma. Esse período de privações acabaria por incentivar a realização de festas nos dias que antecediam a Quarta-feira de Cinzas. A palavra "carnaval" estaria relacionada com a ideia de "afastamento" dos prazeres da carne marcado pela expressão "carne vale", que, acabou por formar a palavra "carnaval".


Em contraste com a Quaresma, tempo de penitência e privação, os dias de Carnaval são chamados "gordos", em especial a terça-feira (Terça-feira gorda, em francês: Mardi Gras).


No período do Renascimento as festas que aconteciam nos dias de carnaval incorporaram os bailes de máscaras, com suas ricas fantasias e os carros alegóricos e progressivamente a festa foi tomando o formato atual. Vale lembrar que um dos Carnavais mais reconhecidos no mundo por suas fantasias e bailes de máscaras é o de Veneza.


O Carnaval moderno, feito de desfiles e fantasias, é produto da sociedade vitoriana do século XIX. Paris foi o principal modelo exportador da festa carnavalesca para o mundo. Cidades como Nice, Nova Orleans, Toronto e Rio de Janeiro se inspirariam no Carnaval parisiense para criar suas festas carnavalescas.


No Brasil, o entrudo, importado dos Açores, Ilha da Madeira e Cabo Verde, foi o precursor do carnaval. Grosseiro, violento, imundo, constituiu a forma mais generalizada de brincar no período colonial e monárquico, e também, a mais popular. Consistia em lançar, sobre os outros foliões, baldes de água, esguichos de bisnagas e limões-de-cheiro (feitos de cera), pó de cal (que podia cegar as pessoas atingidas), vinagre, groselha ou vinho e até outros líquidos que estragavam roupas e sujavam ou tornavam mal cheirosas as vítimas. Foi livre até o aparecimento do lança-perfume, já no século XX, assim como o uso do confete e da serpentina, trazidos da Europa.


Atualmente, o prestígio alcançado pelos desfiles de carnaval, no Rio de Janeiro e em São Paulo, o renascimento do Carnaval em Belo Horizonte, e a disseminação das chamadas micaretas de Salvador, Recife e Olinda, trouxeram novas formas ao evento. Alguns críticos dizem que o sentido popular da festa perdeu lugar.


Não sou Mangueira, mas neste Carnaval de Pandemia, em que teremos que fugir de aglomerações, minha dica é brindar o Carnaval em Verde e Rosa. Ambos bem gelados e refrescantes, farão o papel de abre-alas.


Saboreie por exemplo: o Quinta da Aveleda Colheita Selecionada, Portal do Fidalgo, Quinta de Linhares Azal, Dona Paterna, Quinta de Linhares, entre os verdes. E para os rosados: Viñas del Vero Rosado, Quinta da Lagoalva, Paço do Teixeiró Rosado, Cote-du-Rhône Parallele 45 Rosé, Kankura, Rose Malbec Finca La Linda, Rose Crescendo Altas Quintas, Rose Terra Amata Domaine Sorin, Rose Tempranillo Artero, e Valdelosfrailles.


E quem disse que vinho não rima com alegria, confete e serpentina?


Aproveite para comentar se gostou ou não!!! Saúde!!! (baseado em artigos sobre a História do Carnaval, disponíveis na internet)



O que é o VINOTÍCIAS...

O VINOTÍCIAS foi criado por Márcio Oliveira, com o intuito de disponibilizar em um único espaço dicas de vinho, enogastronomia, eventos, roteiros de viagens e promoções. Inicialmente era disponibilizado na forma de uma newsletter para alunos, ex-alunos e amantes do vinho, com o crescimento do mercado e o amadurecimento do projeto a necessidade de um espaço maior para tantas informações se fez necessário e assim surgiu o blog e o site.

  • w-facebook
  • White Instagram Icon

© 2017 Vinotícias. Criado por Action Digital Midia

Belo Horizonte | Minas Gerais