top of page
  • Foto do escritorVinotícias - Marcio Oliveira

CLARENDELLE 2015 - BORDEAUX - FRANÇA

Há vinhos que trazem em seu DNA a qualidade intrínseca de seus produtores. Portanto, um vinho com enologia inspirada pela Haut-Brion deve ser provado com cuidado e critérios face à expectativa gerada pela menção do nome do Château Haut-Brion.

A história do Château Haut-Brion começou nos primórdios da viticultura na região de Bordeaux e já na metade do século XVI foi reconhecido como "Cru" pelo departamento de arquivo e documentos de Gironde. Com um terroir privilegiado, foi classificado como 1er Grand Cru Classé em 1855 graças a elegância e fama que seus vinhos tinham já naquela época.


Em 1935, a propriedade foi comprada por Clarence Dillon, um norte americano que investiu na menor e a mais antiga entre os cinco 1er Grand Cru Classé de Bordeaux, fazendo do Château Haut-Brion um dos maiores vinhos de todo o mundo, um verdadeiro clássico. Atualmente tanto Haut-Brion quanto seu vizinho, o Château La Mission Haut-Brion são administrados pelo Príncipe Robert of Luxembourg e tem administração técnica de Jean Philippe Delmas. Os vinhos são produzidos pela mesma equipe técnica responsável pelo Haut-Brion e, por isso, têm todos uma garantia de qualidade. A ideia de fazer os vinhos Clarendelle foi oferecer ao público excelentes vinhos a preços mais acessíveis.


Com um blend em que a Merlot é predominante, mostra ser um vinho mais suave em aromas, mais macio em boca e menos ácido, se comparado com vinhos onde a Cabernet Sauvignon é majoritária. A Merlot é uma casta capaz de produzir vinhos macios, delicados, ainda que tenham bom corpo ou potência na boca, sem, no entanto, agredir com acidez marcada e taninos adstringentes. Os aromas que são mais facilmente associados aos bons vinhos de Merlot são as ameixas negras, o cassis, e as cerejas. E quando o vinho passa por um estágio em madeira, aparecem aromas de grãos de café, chocolate e um pouco de especiarias.


O aveludado na boca combinado com o frutado típico, os taninos leves e o álcool muitas vezes mais baixo são o que há de mais tradicional e apreciável nos bons Merlots, que merecem ser bebidos um pouco mais jovens que os vinhos de outras castas clássicas francesas, como a Cabernet Sauvignon ou a Syrah, garantido sua vivacidade e frescor.


A Merlot é uma uva de cultivo controverso na modernidade, pois os enólogos se dividem entre os que acreditam que ela deve ser colhida muito madura para concentrar mais açúcares e os que acham que ela deve ser colhida mais precocemente, para reter taninos e acidez. Seus grãos são pequenos e suculentos, com taninos tradicionalmente leves e bom teor de açúcar.


● Uvas: Tinto composto de 73% Merlot, 14% Cabernet Sauvignon e 13% Cabernet Franc, com estágio de parte do vinho em barricas de carvalho francês durante 18 meses. Permanece 4 anos na garrafa antes de ser comercializado.


● Notas de Degustação: Vinho de cor rubi com leve borda granada. Aromas de boa complexidade e elegância revelando frutas vermelhas e pretas maduras (quase em compota) como as groselhas, ameixas e cerejas, notas de especiarias, como pimenta preta e alcaçuz, além de toques defumados, de couro e terrosos. Paladar de médio corpo, taninos macios e finos, com final de boca agradável e longo, com bom equilíbrio e elegância.


● Reconhecimentos: James Suckling - 91 Pontos I Robert Parker - 90 Pontos


● Estimativa de Guarda: Potencial de guarda por mais 2 anos, desde que seja mantido em condições adequadas.


● Notas de Harmonização: Acompanha carnes vermelhas grelhadas e assadas com molhos de média intensidade, preparações a base de carnes de cordeiro, massas com molhos intensos e queijos de média cura a curados. Acompanhou muito bem um filet com molho de mostarda.


● Serviço: servir entre 16 e 18ºC


● Faixa de Preço – $$$ ● Importado pela World Wine - Em BH – Loja no Pátio Savassi - Av. do Contorno, 6061 - Piso L2 - Loja 221/222 - Telefone: (31) 3889-9407

コメント


bottom of page