top of page
  • Foto do escritorVinotícias - Marcio Oliveira

HANS WIRSCHING 2017 IPHOFER RIESLING – FRANCÔNIA - ALEMANHA

A Hans Wirsching é uma das maiores vinícolas familiares da Francônia, com uma tradição de quase 400 anos.

Embora sua maior especialidade seja na elaboração de vinhos a partir da variedade Silvaner, também produz uma ampla gama de Rieslings. Dentre eles, destaque para aqueles elaborados a partir de vinhedos com classificação mais elevada pela VDP, como Iphöfer Kronsberg e Iphöfer Julius-Echter-Berg.

Engarrafado na tradicional garrafa em formato Bocksbeutel, foi elaborado com uvas cultivadas de acordo com os princípios da agricultura sustentável, provenientes do vinhedo Iphöfer Kronsberg, classificado como VDP Erste Lage (o equivalente a um Premier Cru na Borgonha). Após fermentação em tanques de aço inoxidável, passou por estágio em grandes barris de carvalho.


A classificação oficial dos vinhos alemães, que tomou forma a partir de 1971, talvez seja uma das mais completas do mundo e, paralelamente, uma das mais difíceis de entender. Porém, foi alvo de muitas críticas dentro da própria Alemanha, por dar relativamente pouca importância à qualidade dos vinhedos e zonas de produção. O foco no processo de classificação foi a avaliação de aspectos geográficos, do grau de maturação das uvas ou mesmo do nível de doçura dos vinhos, mas pouco em relação à avaliação dos melhores vinhedos. Isso veio a mudar somente a partir da nova legislação aprovada em 2021, o que, porém, não impediu que os próprios produtores agissem muito antes disso. A metodologia adotada até 2021 diferia bastante de outros países. Um exemplo é a França, que através do sistema de Appellation d’Origine Contrôlée (AOC) fez um mapeamento minucioso de seus vinhedos e áreas de produção. O principal objetivo era proteger e premiar aqueles vinhedos que mostram potencial para produzir vinhos de melhor qualidade.


No caso da Alemanha, a legislação até 2021 previa um sistema oficial de classificação geográfica, porém sem menção à qualidade. O seu uso nos rótulos de vinhos previa as categorias Qualitätswein e Prädikatswein. A grande crítica a este sistema é que não diferencia os vinhedos em si, ou seja, vinhedos de alta qualidade não são segregados daqueles de qualidade inferior. É, portanto, uma classificação puramente ligada a predicados. No caso da França, por outro lado, vinhedos superiores têm seus vinhos qualificados como Grand Cru, aqueles ligeiramente inferiores de Premier Cru etc.


Para suprir esta lacuna, que existia até 2021, foi criada na Alemanha uma classificação paralela, porém, sem proteção legal. Ela uma iniciativa da Verband Deutscher Prädikatsweingüter (VDP), uma associação de produtores criada em 1910, mas que passou a ter uma atividade mais efetiva após a lei de 1971 e que agrega os 200 melhores produtores de vinho alemão. Os vinhos classificados pela VDP (que hoje abrange os vinhos de 200 produtores) apresentam em seus rótulos o símbolo da entidade (uma águia estilizada como um cacho de uvas) e a sua classificação correspondente a uma das quatro categorias referidas pela VDP. A dica se você quiser um Riesling alemão seco é procurar pela palavra TROCKEN no rótulo. Mas cuidado, se estiver escrito TROCKENBEREENAUSLESE, é vinho feito de uvas secas e, portanto, um dos mais doces do mundo. Os rótulos alemães têm estas particularidades difíceis de nos brasileiros entendermos.


Composição de Uvas: (100%) Riesling Renano.


Notas de Degustação: Este delicioso Riesling é delicado, com ótima acidez e um frutado levemente doce. Um vinho que soube evoluir de forma muito elegante, mantendo um perfil de alta mineralidade. No visual, mostrou uma coloração amarela bem brilhante, enquanto no nariz trouxe um conjunto de muita harmonia, com notas cítricas (destaque para tangerina), benzina e um leve toque mineral. No gustativo, o vinho tem acidez cortante, elegante, direto. Trouxe na boca uma leve untuosidade, acompanhada de notas minerais e salinas, e mostrou longa persistência. Álcool de 11,5%


Estimativa de Guarda: Potencial de guarda por 8 anos após a safra, desde que seja mantido em condições adequadas.


Notas de Harmonização: Uma companhia perfeita para acompanhar pratos de inspiração oriental.


● Serviço: servir entre 7 e 8ºC


● Faixa de Preço – $$$

Em BH: MISTRAL - Rua Cláudio Manoel, 723 - Savassi - BH. Tel.: (31) 3115-2100.

Comments


bottom of page