top of page
  • Foto do escritorMarcio Oliveira - Vinoticias

“PROMOÇÕES DE VENDAS DE VINHO NO INÍCIO DE 2024”

Início de ano é época de abastecer as adegas que ficaram vazias pelo consumo durante as comemorações de Final de Ano.


Neste mesmo período, começam as promoções de vendas de importadoras e lojistas especializados a fim de completarem metas de vendas e esvaziarem seus estoques para receber os novos pedidos e importações. Nesta hora, nem tudo que brilha é ouro e é necessário tomar cuidados para não comprar gato por lebre!


Como identificar, no mar de opções que as promoções oferecem, o melhor custo-benefício? E como não cair em armadilhas na hora de investir um pouco mais e impressionar os amigos?


É difícil acreditar que um lojista ou importador vá vender uma garrafa de vinho por valor inferior ao seu custo, incluindo aqueles da seleção do rótulo na origem, a logística de levar os vinhos até o porto, embarcá-los em container climatizado (será mesmo que vinhos baratos são importados em containers climatizados?), depois se soma o frete, seguro do transporte, desembaraço alfandegário, transporte até o Centro de Distribuição do importador e distribuição. Portanto, grandes descontos confirmam que o importador tinha uma margem muito grande na venda do rótulo, ou você vem sendo enganado há muito tempo, quando dizem que a culpa do preço do vinho é que os impostos são altos. Como acreditar na idoneidade de uma loja que oferta 60 ou 70% de descontos?


Quaisquer que sejam seus gostos, a maioria dos especialistas em vinhos recomendam seguir algumas dicas na próxima vez que você fizer compras para encontrar vinhos que sejam interessantes e acessíveis e que verdadeiramente estejam em promoção.


Em geral você receberá uma Lista de Ofertas on line do seu fornecedor ou lojista favorito, com rótulos estimulantes, sem, contudo, constar as safras. Se quiser comprar um vinho branco em bom estado, cuide para que sua cor não seja dourada ou escura demais, pois isso indica que o vinho pode ter passado do ponto certo. Em geral, escolha vinhos de safras recentes para os vinhos brancos e rosés (no máximo com três anos de safra), do contrário o vinho pode não ter mais as notas refrescantes desejadas. Para vinhos tintos, opte por cinco anos como o máximo para comprar em promoções. Em geral, os supermercados organizam os vinhos de baixo para cima conforme o preço. Escolha os vinhos que estão para trás nas prateleiras dos supermercados, pois estão menos expostos à luz.


Priorize rótulos que já venham com certificado de qualidade (AOC, DOC, DOCG), mas leve em conta que isto pode representar um valor a mais no preço dos vinhos. Além disto, ler o contrarrótulo pode ser uma boa ideia para saber se o vinho teve ou não contato com a madeira e quais são as uvas utilizadas. A passagem por madeira poderá ajudar na longevidade do vinho, e saber a uva pode ser uma forma de você comprar um produto que gostará ou poderá evitar por não ser a sua casta favorita.


É importante avaliar a qualidade da embalagem e a aparência do produto antes de comprá-lo e por isto, apesar de preços atraentes nas promoções pela internet, ter a garrafa em mãos pode ser muito vantajoso. Basicamente você deve se preocupar com o estado de conservação da cápsula e da rolha. A cápsula é aquela capinha metálica que envolve o gargalo da garrafa e a rolha. O vinho não pode estar sem a cápsula ou com ela danificada. Vale a pena prestar atenção na superfície da rolha em relação ao bico da garrafa. A rolha não pode ter ultrapassado o bico da garrafa, ela deve estar sempre rente ao bico. Uma rolha saltada pode indicar a entrada de ar na garrafa, oxidando o vinho.


Rachaduras ou trincas na garrafa é algo que dispensa comentários. Você não vai comprar um vinho com a garrafa quebrada ou rachada. Mas certifique-se de que a garrafa esteja intacta. E preste atenção na quantidade de líquido na garrafa, pois se houver um espaço muito grande entre o líquido e a rolha, isso pode indicar que a bebida tenha vazado e o vinho esteja oxidado.


Por motivos óbvios, ninguém quer investir muito dinheiro em um produto que não conheça. Por isso, muitas pessoas que não têm tanta familiaridade com o vinho, acabam fazendo do preço o seu principal critério de escolha. Isso não é errado, mas não é garantia de acerto no rótulo ideal. Até porque, um vinho que custe R$ 300, por exemplo, não traz nenhuma garantia em agradar o teu paladar mais do que um que custe R$ 60 ou R$ 100! Para vinhos de preço mais significativo, procure por Guias de Vinhos e veja se a safra produziu bons vinhos na região, ou se foi uma temporada prejudicada pelo clima.


Um tipo de promoção muito comum nesta época do ano é leve 3 garrafas e pague por 2 (corresponde a um desconto de 33%). Outros preferem fazer promoções pague 5 garrafas e leve 6 (desconto proporcional de 16,5%). Isto é bem mais racional que aumentar o preço do vinho e dar 50% de desconto, o que quer dizer que você está comprando pelo preço original do vinho, mas motivado por um grande desconto (na realidade inexistente).


Prefira as casas especializadas ou importadoras. As chances de o vinho ser melhor tratado ali é maior – eles vivem disso. Os catálogos das importadoras são uma ótima fonte de pesquisa sobre a origem e as características do produto. Alguns são tão bons e completos que valem como leitura. Claro que no texto todos os vinhos são excepcionais; alivie os elogios exagerados e fique na essência da informação, esteja aberto a sugestões dos vendedores das lojas, e crie uma relação de confiança com estes profissionais, que entendem do riscado e podem ajudar muito na escolha. No geral eles preferem conquistar um consumidor com sugestões viáveis ao bolso, do que empurrar um tinto ou branco encalhado no fundo da loja e perder a confiança de um potencial cliente.


Se você não quer se arriscar muito, escolha um vinho pelas uvas mais conhecidas de cada país ou região. Malbec na Argentina, Cabernet Sauvignon no Chile, Sangiovese na Itália, um corte bordalês (Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon e Merlot) na França, Tempranillo na Espanha, Touriga Nacional em Portugal, Riesling na Alemanha, Sauvignon Blanc na Nova Zelândia e espumantes no Brasil. Com tempo você deve se aventurar, apostar na variedade e mudar seu padrão de escolha, arriscando um Torrontés argentino, um Shiraz chileno, um Pinot Noir francês, um Antão Vaz lusitano, um Garnacha ou um Mencia espanhol, um Nebbiolo italiano, os vinhos de corte (mistura de várias uvas) e por aí vai. As escolhas são infinitas .....


E lembre-se: Não acredite nas lindas frases que descrevem o vinho, pois foram criadas para vender a bebida!!!


Saúde!!! Aproveite para comentar se gostou ou não!!! (Este artigo está baseado em material disponível na internet, e minhas considerações em relação as pesquisas).

Comments


bottom of page