top of page
  • Foto do escritorMarcio Oliveira - Vinoticias

“IMPACTOS DO VINHO NA DIETA ALIMENTAR”

Final de ano chegando e você começa a pensar nas confraternizações e comemorações das quais participará e começa a imaginar que assim sendo, vai poder trabalhar como um Papai Noel. 



Sempre que os meses mais quentes do ano se aproximam nesta temporada de final de ano, muitas pessoas têm preocupação com a aparência física e além de práticas esportivas para perder peso, voltar a frequentar academias de ginástica, resolvem iniciar dietas alimentares e deixam de lado alguns prazeres, como provar um bom vinho.


O começo do novo ano é também um período de renovar esperanças, planos e metas. E para muitas pessoas, adotar um estilo de vida com hábitos saudáveis, voltado para a boa forma, estabelecendo a promessa de uma alimentação mais leve para perder peso, implica no medo de incluir o vinho numa dieta que seja considerada saudável.


Para dar mais informação sobre esse assunto, que pode gerar uma certa insegurança no que se refere ao consumo do vinho no dia a dia selecionamos algumas dicas sobre os impactos do vinho na dieta. Continue a leitura para saber mais!

 

VINHO ENGORDA? – Se há algo que assusta as pessoas é o medo do aumento do peso. Como os nutricionistas costumam ser bastante rígidos no controle do álcool, essa postura acaba por favorecer a mentalidade de que o vinho pode realmente fazer você engordar ou atrapalhar o emagrecimento.


Por outro lado, e uma boa notícia, é que existem profissionais da área de nutrição que por serem adeptos de um bom vinho, resolveram pesquisar e desmistificar o consumo do vinho na dieta. E a resposta deles é que com moderação e um plano alimentar saudável, durante a maior parte do tempo, é possível consumir vinho diariamente, sem engordar.


De acordo com um estudo levado a cabo pela Washington State University, as uvas ajudam a converter a gordura branca em excesso em gordura castanha, que é mais fácil de queimar através do exercício físico, por exemplo. Isto deve-se essencialmente ao resveratrol, “um potente antioxidante presente nas cascas das uvas”, explica a nutricionista Lilian Barros. Este combate as células gordas do corpo e tende a reduzir o apetite.


Noutro estudo, conduzido pela Harvard Medical School, que acompanhou cerca de 20 mil mulheres ao longo de 13 anos, concluiu-se que, em comparação às mulheres que não bebem álcool, o consumo moderado de álcool (neste caso, dois copos de vinho por dia) aumenta em 70% a probabilidade de perder peso.


Assim, com moderação, o vinho pode fazer parte de uma rotina alimentar equilibrada, sem exageros e sem restrições severas, diz Lilian Barros, nutricionista que também afirma que outros aspetos devem ser levados em conta. “Não podemos dizer que um alimento engorda ou emagrece sem avaliar os restantes hábitos alimentares e as quantidades ingeridas. Por conter calorias, o vinho quando ingerido em grandes quantidades pode contribuir para ganhar peso “, afirma a nutricionista. - “Nada que é muito restritivo funciona a longo prazo, e muitas vezes pode até aumentar as chances de compulsão alimentar.”

 

BENEFÍCIOS DO VINHO NA DIETA - Para os amantes da bebida, vale ressaltar seus inúmeros benefícios, tais como: o auxílio na redução do colesterol, aumento da imunidade, melhora do sistema cardiovascular e cerebral, além de ser um potente antioxidante. Tudo isso, graças aos polifenóis presentes no vinho. O vinho também ajuda na prevenção e auxilia no tratamento de diversas doenças, como a diabetes.


Com tantos benefícios mencionados, o vinho nem de longe pode entrar na categoria de vilão da boa forma. Mas para que de fato ele não se torne um inimigo é interessante cuidar dos tipos de associação alimentar na hora que você vai degustá-lo. É recomendado evitar carboidratos simples e frituras, que são calorias vazias, praticamente sem nutrientes e que engordam bastante!


Segundo os especialistas, o segredo é o equilíbrio. De forma moderada, sem acompanhamentos que engordam e sem o consumo desregrado, é possível incluir até 2 taças de vinho (100 ml em cada) no cronograma alimentar das mulheres, e até 4 taças (100 ml em cada) na dieta dos homens.

 

AFINAL, QUANTAS CALORIAS TEM UMA TAÇA DE VINHO? - Na prática, a questão sobre as calorias do vinho é muito mais matemática do que qualquer outra coisa. Uma taça de vinho branco tem em torno de 127 calorias, enquanto uma taça de vinho tinto tem 165 a 195 calorias, das quais temos alguns açúcares e carboidratos e zero gordura.


Com esta informação, é fácil refletir se uma taça de vinho é capaz de engordar ou impedir o emagrecimento! Com toda certeza, muito mais impactante na dieta são os alimentos que são consumidos ao longo de um dia!


Quando consumido moderadamente, além das propriedades antioxidantes, que impedem o envelhecimento precoce das células, o vinho traz relaxamento, propicia o convívio social e confere descontração, fatores essenciais para a adesão à novos estilos de vida.


Os vinhos – principalmente os vinhos tintos – têm polifenóis em sua composição. Estas substâncias ajudam a reduzir o colesterol e protegem o organismo contra doenças cardiovasculares, como infarto e AVCs. Além disso, um estudo realizado pela Washington State University aponta que o polifenol encontrado no vinho, proveniente das cascas e sementes das uvas, ajuda a perder peso.


A explicação para isso é que o polifenol consegue transformar o excesso de gordura branca, que é prejudicial à saúde, em gordura castanha, considerada melhor porque é eliminada com mais facilidade pelo organismo, prevenindo disfunções metabólicas e obesidade.

 

QUANDO NEM TUDO SÃO BENEFÍCIOS - No entanto, é sempre bom lembrar que o vinho é uma bebida alcoólica que pode causar danos à saúde quando consumido em excesso. Apesar dos especialistas apontarem, o ideal é consumir de uma a duas taças por dia, melhor é avaliar cada caso de forma individual.

 

DICAS DO QUE BEBER E TABELA DE CALORIAS PARA CADA ESTILO DE VINHO - Uma garrafa de vinho possui 750 ml – o equivalente a 4 taças com 187,5 ml cada. Com base nessas medidas, as referências são:

 

Vinho Branco Suave até 9% de teor alcoólico - Número de calorias por taça: 134 kcal a 171 kcal. Opções:  Müller-Thurgau, Riesling, Moscato d’Asti, Chenin Blanc, Spätlese, Grüner Veltliner

 

Vinho Branco Suave de 9% a 12% de teor alcoólico - Número de calorias por taça: 200 kcal a 240 kcal. Opções: Malvasia, Tokaji, Silvaner, Gewürztraminer.

 

Vinho Branco Seco de 9% a 12% de teor alcoólico - Número de calorias por taça: 138 kcal a 169 kcal. Opções: Pinot Grigio, Albariño, Muscadet, Trebbiano, Vermentino, Torrontés, Pinot Blanc, Verdejo, Grenache Blanc,

 

Vinho Branco Seco de 12% a 14% de teor alcoólico - Número de calorias por taça: 170 kcal a 200 kcal. Opções: Marsanne, Sauvignon Blanc, Chardonnay, Viognier, Roussane

 

● Vinho Tinto de 11% a 13,5% de teor alcoólico - Número de calorias por taça: 157 kcal a 187 kcal. Opções: Shiraz, Pinot Noir, Cabernet Sauvignon

 

Vinho Tinto de 13,5% a 16% de teor alcoólico - Número de calorias por taça: 187 kcal a 225 kcal. Opções: Shiraz, Pinot Noir, Cabernet Sauvignon

 

Vinho Espumante Seco (Brut) - Número de calorias por taça: 184 kcal. Opções: Brut, champagne, Prosecco, Cava, Todos os espumantes classificados como “Brut”.

 

Vinho de Sobremesa - Número de calorias por taça (neste caso, a taça utilizada é de 90 ml, pois o hábito de consumo deste tipo de vinho é diferente): 203 kcal a 290 kcal. Opções:  Madeira, Porto, Sherry, Sauternes, Passito


E para finalizar parafraseando Paracelso, médico e físico do século 16, que afirma: “a diferença entre o remédio e o veneno é a dose”. Ou seja, para tudo deve haver equilíbrio! A nossa dica é falar com seu médico ou nutricionista sobre o consumo indicado para a sua idade, peso, altura, hábitos de vida e assim adequar a quantidade e a frequência ideais.


Importante lembrar de apreciar a sua taça de vinho devagarinho, percebendo as evoluções ao longo do contato com o oxigênio e o prazer revigorante cada gole!!!


Saúde!!! Aproveite para comentar se gostou ou não!!! (Este artigo está baseado em material disponível na internet, e minhas considerações em relação as pesquisas).

Commentaires


bottom of page