top of page
  • Foto do escritorVinotícias - Marcio Oliveira

LAS NOTAS DE JEAN CLAUDE 2014 MERLOT – BODEGA TAPIZ - MENDOZA – ARGENTINA

A história da Tapiz começa como a de muitas vinícolas atuais. Seus proprietários, a médica Patrícia Ortiz e seu marido, o advogado Jorge, ambos argentinos, moravam nos Estados Unidos quando se apaixonaram definitivamente pelo vinho.


Durante cinco anos, participaram de jantares semanais entre amigos onde os anfitriões eram responsáveis pela preparação de um prato de determinada região e os demais, pelos vinhos do local.


De volta à Argentina, seguindo com seus respectivos trabalhos, Patrícia e Jorge começam sua aventura como vinhateiros. Em 1993, adquirem uma pequena propriedade de terra em Tupungato, no Vale do Uco, onde plantavam uvas e vendiam a vinícolas locais. Frustados por não verem o esforço do seu trabalho nas taças, deram o próximo passo no início da década de 2000, comprando a atual vinícola da Tapiz, em San Pablo, também no Uco, dos americanos da Kendall Jackson. Atualmente, a Tapiz tem mais de 1000 hectares de vinhedos, divididos em diferentes regiões do país vizinho.


Patrícia Ortiz dirige a Tapiz desde o ano de 2003. Em um ambiente masculino como o do vinho, a médica sempre transitou com naturalidade, chegando, em 2019, à presidência da Bodegas de Argentina, a principal entidade que reúne as vinícolas que operam no país. Patrícia tem, em seus pilares, fazer vinhos com elegância e identidade, usando técnicas que respeitem o meio-ambiente e reflitam o terroir. Para isso, elabora vinhos também em Alto Agrelo, sob a marca Zolo, e na Patagônia, onde tem o projeto Wapisa.


À frente da equipe técnica, Patrícia conta com dois nomes de peso da enologia mundial. Responsável técnico do projeto, o enólogo Fabian Valenzuela conta com mais de 30 anos de experiência, tendo começado sua carreira nas igualmente famosas Balbo e, depois, Catena. Fabian foi o responsável por tornar, desde o início do projeto, os vinhos da Tapiz competitivos no mercado internacional, sendo representativos do potencial vinícola argentino.


A partir de 2012, a vinícola contrata um reforço de peso. Atenta à tendência cada vez mais presente de vinhos elegantes e complexos, Patrícia contratou, com exclusividade para a Argentina, a consultoria de Jean Claude Berrouet, francês que por 44 safras foi o responsável pelos vinhos do Chateau Pétrus, um dos melhores e do mundo. Segundo Patrícia, a contratação de Jean Claude foi um simples exercício de lógica: se o estilo cada vez mais consolidado é o de vinhos mais elegantes e complexos, devemos buscar quem mais entende desse estilo no mundo.


A extrema atenção aos detalhes é a marca registrada da Tapiz, que conta com nove vinhedos espalhados por diferentes regiões da Argentina - sete na zona de Mendoza, um em San Javier e outro em Cafayate, cada qual voltado à elaboração de diferentes vinhos e estilos. Sua dedicação à zona de San Pablo, onde tem um dos mais altos vinhedos da região, a 1350 metros de altitude, tornaram o lugar uma das mais importantes indicações geográficas da Argentina. A Tapiz conta também com um dos melhores espaços para apreciar e aprender sobre vinho, o Club Tapiz Hotel y Restó, onde o prazer e o relaxamento unem-se ao entorno de uvas, montanhas e oliveiras.


Em 2017, foi eleita uma das 100 mais importantes vinícolas do mundo pela Wine Spectator.


Las Notas de Jean Claude é um ícone argentino, cria do próprio Jean Claude Berrouet. Complexo e elegante, Las Notas tem a elegância de um verdadeiro Bordeaux por uma fração do preço de um Petrus.


Composição de Uvas: Corte de Merlot (predominante) e Cabernet Franc e Petit Verdot. Envelhece 11 meses em barricas de carvalho francês novas. Teor alcoólico: 14,4% vol.


Notas de Degustação: Notas de frutas vermelhas frescas (como a framboesa), cassis e trufas acompanhadas por delicadas notas de especiarias (baunilha). O envelhecimento em carvalho traz aromas de café e chocolate bem integrados com as notas frutadas. Na boca é intenso, com taninos macios e elegantes. Bela acidez, corpo médio, provocando harmonia no paladar, conjugando uma excelente expressão da fruta e terroir e o “savoir-faire” com o toque de Jean Claude. Um final longo, difícil de esquecer.


Estimativa de Guarda: Apesar do potencial de guarda sugerido ser 10 anos, creio que o vinho ainda tem potencial para mais 5 anos.


Reconhecimentos: Prêmios: 95 Robert Parker, 94 James Suckling e 93 Descorchados.


Notas de Harmonização: Harmoniza com carnes vermelhas assadas ou grelhada (de preferência não gordurosas), risotos de cogumelos, queijos de casca branca, ou de média cura.


Serviço: servir entre 16 e 17ºC.


Faixa de Preço – $$$$


● Em BH – AMIGO DO VINHO – Contate o Alisson Salles – (31) 98877-9538.

Comentarii


bottom of page