• Vinotícias - Marcio Oliveira

ALMAVIVA 2008 – PUENTE ALTO – MAIPO - CHILE

O projeto Almaviva começou em 1997, por meio de uma parceria entre a tradicional empresa francesa Baron Philippe de Rothschild e a chilena Concha y Toro. Produzido a partir de um terroir excepcional e vinificado em uma das mais belas adegas do mundo, é um dos raros vinhos de fora de Bordeaux que faz parte do seu seleto circuito de comercialização.

Considerado um dos melhores vinhos do Chile, é uma prova verdadeira do elevado potencial dos terroirs do país em produzir vinho com a qualidade de grandes châteaux de Bordeaux.


O nome Almaviva vem da literatura clássica francesa: O Conde de Almaviva, herói das bodas de Fígaro, a famosa comédia de Beaumarchais (1732-1799). Mais tarde seria transformada em ópera pelo gênio Mozart.


O logotipo do rótulo é uma homenagem à história dos ancestrais chilenos, pois possui três reproduções de um design que simboliza a visão da terra e do cosmos na civilização Mapuche. No design parece o “kultrun”, um tambor utilizado pelos Mapuches, como por exemplo, em seus rituais.


O rótulo exibe o nome de ‘Almaviva’ com o manuscrito original de Beaumarchais. O conceito de Château foi introduzido no século XIX na França e era uma forma de honrar a maestria criativa dos viticultores de Bordeaux. Almaviva foi o primeiro vinho no Chile criado sob este conceito.


● Corte de uvas: 73% Cabernet Sauvignon, 24% Carmenére e 3% Cabernet Franc. Passou 16 meses de envelhecimento em barricas novas de carvalho francês.


● Notas de Degustação: Vinho ainda rubi com leves reflexos alaranjados na borda, lágrimas grossas, que demoraram a cair. No nariz aparecem as notas de couro e defumado e aos poucos os toques de frutas escuras maduras (ameixa e cereja), caramelo intenso, pimenta preta, especiarias como a baunilha, com final de chocolate amargo. No paladar, o vinho mostra taninos macios e toque de carvalho criando um conjunto elegante, bem equilibrado, de excelente persistência, onde os sabores das frutas escuras, cassis, geleia de mirtilo e final de chocolate amargo ficam evidentes. Um vinhaço, com final de boca equilibrado, persistente, marcante, com retrogosto de chocolate amargo com especiarias.


● Estimativa de Guarda: o vinho de corpo, com boa acidez, que já estava pronto para ser bebido, ou ainda aguentaria uma guarda de 5 a 6 anos.


● Reconhecimentos: WS 92, RP 93+


Notas de Harmonização: Ótima companhia para carnes vermelhas grelhadas ou assadas, galinha d´angola, carnes de caça, costeleta de cordeiro ao molho de ervas, ossobuco com polenta cremosa. Acompanhou um gostoso escalope de filet ao molho madeira com batatinhas assadas com alecrim.


Serviço: servir entre 16 e 17ºC (Beba numa taça grande de Bordeaux).


Faixa de Preço – Estelar


O vinho estava climatizado em Adega do VINOTÌCIAS.