• Marcio Oliveira - Vinoticias

BERNARD SERIES OLD VINES CHENIN BLANC 2016 – AFRICA DO SUL

O berço da Chenin Blanc está no Loire (França) e consta que a uva teve origem em torno de 1300 anos. Mas a África do Sul tem nela seu maior vinhedo, com alguns exemplares dignos de nota, como este Bernard Series, criado a partir de vinhas velhas com 45 anos de idade, plantadas na região Costeira de Agter-Paarl, Durbanville e Montes Inferiores.

É mais comumente associado ao Vale do Loire, na França, e seus altos níveis de acidez significam que pode ser vinificado em vários estilos diferentes: como vinhos de sobremesa deliciosamente doces, afetados por botrytis, vinhos leves e espumantes com mel e vinhos encorpados e ainda brancos vinhos.


A variedade teve seus altos e baixos ao longo de sua longa história. Os documentos oficiais franceses mencionam Chenin Blanc pela primeira vez em 845, e a variedade apareceu em várias partes do Loire sob uma infinidade de sinônimos desde então. A uva caiu de moda um pouco no início do século XX, mas o interesse renovado na década de 1980 revigorou a posição de Chenin Blanc como uma variedade de uva clássica e nobre.


A Chenin Blanc encontrou um lar no Novo Mundo, nas vinhas da África do Sul. Este país superou a França para se tornar o maior produtor de Chenin e continua sendo a variedade mais plantada no país. Chenin Blanc chegou à África do Sul em meados do século XVII e ficou imediatamente popular por sua produtividade e capacidade de gerar alta acidez, mesmo em condições quentes. Atualmente, uma mudança de atitude em relação a essa nobre uva tem visto um aumento na qualidade na África do Sul.


Vinhas velhas em Stellenbosch e Swartland estão produzindo vinhos ricos e concentrados, que tendem a ter um caráter mais tropical do que os do Vale do Loire, exibindo sabores de abacaxi, melão, goiaba e banana. O Bernard Series Chenin Blanc passa por madeira durante 12 meses, sendo que 50% em barricas de segundo uso de carvalho francês, com contato prolongado com as borras para obter riqueza, complexidade e profundidade.


● Corte de uvas: 100% Chenin Blanc.


● Notas de Degustação: cor amarela com reflexos dourados que neste caso dentotam a passagem por madeira. Os aromas da barrica se mostram ao mesmo tempo que o pêssego maduro, damasco, maracujá, melão, mamão e abacaxi maduro (quase compota), numa grande complexidade que vai se mostrando em camadas! Paladar seco, com ótima acidez, intenso e complexo, que repete o perfil aromático e mais notas de aveia, especiaria doce de baunilha. Um vinho em que sobra elegância e equilíbrio, com grande persistência.


● Estimativa de Guarda: já está pronto para beber, mas pode guardar por mais 4 a 5 anos por conta do frescor que tem.


● Reconhecimentos Internacionais: International Wine Challenge 2017 / Decanter World Wine Awards 2017: Bronze / International Wine & Spirit Competition, 2017 – Silver


Notas de Harmonização: Vai bem com peixes, mariscos, carnes brancas. Acompanhou muito bem um Arroz cremoso com salmão. Quejos leves a médio curados. Gruyere e Cheddar irão muito bem.


Serviço: servir entre 8 a 10ºC.


Faixa de Preço - $$$


Em BH a CANTU é representada por Ana Paula Diniz – Supervisora da Cantu Importadora I Tel.: (31) 98876-0694.