• Marcio Oliveira - Vinoticias

“COMO A ALTITUDE AFETA OS VINHOS?”

Altitude virou uma palavra da moda no mundo dos vinhos finos nos últimos anos. Muitos produtores promovem suas vinhas cultivadas em alturas de tirar o fôlego acima do nível do mar.

A expressão “vinhedos de grande altitude” é cada vez mais usada em rótulos de vinhos como um ponto de marketing. Alguns podem considerar isso como uma manobra de marketing oportunista de vinicultores que querem se destacar na multidão de garrafas de vinho. Se a altitude pode ser usada para diferenciar e explicar as variações entre os vinhos, que efeito a altitude tem sobre o vinho e que diferença isso faz?


● O QUE É UM VINHO DE GRANDE ALTITUDE? - Em primeiro lugar, é importante avaliar o que constitui alta altitude? Apenas uma associação, o Centro Europeu de Pesquisa, Sustentabilidade Ambiental e Promoção da Viticultura de Montanha (CERVIM), tentou definir o termo, estabelecendo a sua utilização para vinhas que se encontrem a um mínimo de 500 metros acima do nível do mar. Na Europa, 500 metros parecem razoavelmente altos, enquanto na Argentina 500 metros são considerados bastante baixos. Praticamente todos os vinhedos da região de Mendoza, na Argentina, estão plantados entre 600 e 1.100 metros acima do nível do mar - portanto, já existe uma área cinzenta no que se qualifica como alta altitude. O vinhedo cultivado a maior altitude no mundo é o Ao Yun, na região chinesa no sopé do Himalaia, onde as vinhas chegam a 2.600 metros acima do nível do mar.


● QUAL O EFEITO DA ALTITUDE NA VINHA? - As videiras precisam de temperaturas moderadas, entre 8°C e 30° C. Elas fecham se ficar muito frio ou muito quente. Aproximadamente, a temperatura cai em torno de 17°C por 1000 metros de elevação. Nas áreas clássicas de cultivo do hemisfério norte, o desafio era encontrar locais que fossem quentes o suficiente. No Novo Mundo, o desafio costuma ser o oposto.


As áreas altas também tendem a ter grandes diferenças nas temperaturas diurnas e noturnas, conhecidas como "oscilações diurnas de temperatura". As videiras - assim como os humanos - preferem noites mais frias para dormir melhor e um dia ensolarado e quente. Pense em lindas férias de verão nas montanhas!


O efeito da altitude na vinha e no vinho varia com outros fatores, como a latitude e a paisagem. Geralmente, as temperaturas diurnas médias (a diferença entre as temperaturas noturnas e diurnas) caem à medida que a altitude aumenta. Este efeito abriu áreas de vinhedos potenciais que antes eram considerados muito quentes para a viticultura, em regiões mais quentes da Espanha, Grécia ou África do Sul, por exemplo. No entanto, a altura e o clima não são os únicos fatores a serem considerados na procura do local perfeito para plantar uma vinha. Quanto mais perto do equador você chegar, mais quente será a temperatura média anual; e os níveis de umidade, aspecto e proteção contra chuva são quase iguais em importância.


Em climas de regiões de altitude na América do Sul é comum que as oscilações diárias de temperatura, de 15°C significam mais açúcar (dias quentes) e mais acide (noites frias). Para se proteger do calor e do frio, as uvas desenvolvem cascas mais espessas. Essas películas - que é onde está a maior parte do sabor, não na polpa - produzem vinhos com mais corpo, sabor e aroma.


As montanhas podem afetar os vinhedos plantados perto delas; enquanto as montanhas de Vosges protegem a Alsácia dos ventos carregados de chuva do oeste, tornando-a uma das regiões mais secas da França; os Andes criam uma sombra de chuva sobre os vinhedos na Argentina, necessitando de irrigação - algo que não é necessário na Alsácia. As montanhas do Chile e da Califórnia canalizam neblina, névoa e nuvens sobre os vinhedos que se beneficiam de sua influência refrescante. Em suma, é um conjunto de fatores ao lado da altitude que tornam viável a produção de vinhos de qualidade.


● O QUE A ALTITUDE TRAZ PARA O VINHO?


♦ Temperatura: Em climas mais quentes, a altitude elevada é particularmente positiva, pois as temperaturas caem significativamente à noite quanto mais alto você está. Isso significa que as uvas amadurecem bem ao sol quente durante o dia, mas as temperaturas noturnas mais frescas permitem que os açúcares se concentrem e os ácidos se desenvolvam, então os vinhos resultantes são frutados, e nunca flácidos.


♦ Drenagem: A grande drenagem frequentemente acompanha os vinhos de alta altitude, pois os vinhedos costumam estar em declives. Uma boa drenagem significa que é mais difícil encontrar água, por isso as vinhas ficam estressadas e as raízes se aprofundam. Como as videiras colocam tanta energia nisso, nelas crescem menos frutas, mas essas frutas em troca têm mais caráter e concentração. Estas raízes mais profundas retiram mais oligoelementos dos solos, o que torna o terroir mais aparente nos vinhos ao serem provados.


♦ Luz solar: Quanto maior a altitude, mais intenso é o sol em termos de UV. Mais UV significa que as uvas desenvolverão películas mais escuras e espessas, pois a uva se protege das queimaduras solares. Peles mais espessas significam maior estrutura e caráter, o que os torna perfeitos para o envelhecimento.


Por todas as razões acima, cultivar um vinho em grandes altitudes pode ser considerado bastante extremo em termos de vinificação. Os vinhos resultantes, no entanto, terão muito caráter, sabor e fruta, além de bons taninos e acidez: todas as qualidades que tornam um vinho verdadeiramente fino. A única desvantagem é que você pode ter que esperar mais tempo antes de poder bebê-los!


● POR QUE O VINHO DE GRANDE ALTITUDE CUSTA MAIS CARO? - O custo de fornecer recursos para cultivar vinhas em grandes altitudes também é um fator chave a considerar e afetará definitivamente o preço da garrafa final. Embora a neve derretida forneça água para um sistema de irrigação natural em meses sem chuva (a irrigação de vinhas muitas vezes não é permitida em muitas áreas protegidas de vinhedos de qualidade em todo o mundo), há um custo para cultivar perto da linha de neve.


Os vinhedos em colinas íngremes não podem ser cultivados por máquina. Toda a colheita, poda e proteção das preciosas uvas devem ser feitas manualmente e a mão-de-obra é um recurso caro. Os vinhedos em áreas de altitudes extremamente elevadas, como Elqui, no Chile (2.000 metros acima do nível do mar), também tendem a ser isolados, de modo que a mão-de-obra também é difícil de encontrar, pois o recrutamento em lugares mais distantes aumenta ainda mais as despesas gerais de produção.


Frequentemente, no mundo do vinho, a altitude significa que uma vinha está em uma encosta. Uma localização de mesa plana a 1.200 metros é menos desejável do que uma a 1.200 metros em um declive suave. A drenagem é importante porque as videiras não gostam de raízes molhadas. Encostas também podem significar brisas.


Altitude significa que você está fora do fundo do vale, com seus solos argilosos mais ricos. Contra-intuitivamente, as vinhas, talvez como alguns grandes artistas, precisam sofrer para fazer boas uvas. Dê-lhes uma dieta de solo fértil demais e eles produzirão muitas folhas, e muitas uvas de má qualidade. As raízes das videiras precisam se aprofundar no solo, extraindo minerais que se traduzem naqueles marcadores especiais que conferem ao vinho uma personalidade específica do local.


A vantagem de cultivar vinhedos em altitude compensa esses custos extras. A luz solar é um requisito essencial para o cultivo da maioria das plantas, se você pode aumentar a luminosidade da luz do sol e o número de horas de sol que uma planta, como uma videira, mais ela florescerá e os frutos amadurecerão plenamente. Uvas bem maduras significam sabores intensos no vinho. Em altitude, com menos atmosfera, a intensidade, ou propriedades de UV, do sol são aumentadas. Além disso, a faixa de temperatura diurna aumenta à medida que a atmosfera mais rarefeita na altitude esfria mais rapidamente quando o sol se põe. Essas amplas faixas de temperatura diurna influenciam fortemente a qualidade dos vinhos produzidos.


● QUAL É A VANTAGEM DA ALTITUDE PARA PRODUTORES DE VINHO? - A principal vantagem é que as vinhas nas encostas de grande altitude recebem mais radiação solar, ao mesmo tempo que beneficiam de temperaturas frescas, principalmente à noite, o que retarda o amadurecimento das uvas, o que por sua vez aumenta a produção de compostos aromáticos na casca. Ao mesmo tempo que esses compostos de sabor estão se desenvolvendo, os açúcares estão amadurecendo, isso tende a acontecer lentamente também, o resultado é que as uvas são frequentemente colhidas com sabores totalmente maduros antes que os níveis de açúcar subam para níveis que fariam o vinho muito alcoólico - digamos 14% -15% ABV. Estes vinhos mais elegantes e com sabores complexos apresentam também uma acidez mais pronunciada e atrativa, que transporta de forma deliciosa os sabores para a boca. Esses níveis elevados de acidez tendem a ser criados em uvas que amadurecem em temperaturas mais frias - como as encontradas em altitude.


Os vinhedos em grandes altitudes que são íngremes e expostos também tendem a ser locais com bastante vento. O vento, desde que “não seja muito forte, é frequentemente um fator desejável para os vinhedos, particularmente em vinhedos quentes ou costeiros, pois em primeiro lugar ele inibe doenças nas uvas ao resfriar as vinhas e remover a umidade do ar; em segundo lugar, também engrossa a casca das uvas ou pode torná-las menores e mais concentradas. A casca espessa da uva resulta em coloração profunda e alto tanino no vinho tinto, bem como sabores de frutas mais escuros e ricos.


● POR QUE O VINHO É ROTULADO COMO DE ALTA ALTITUDE? - Os vinhedos nas montanhas do Cabo Ocidental da África do Sul ou na Andaluzia na Espanha anunciarão corretamente o fato de que seus vinhos são cultivados em grandes altitudes, pois eles esperam que os consumidores esclarecidos saibam que isso equivale a sabores intensificados no vinho, embora não seja excessivamente alcoólico com fruta doce. A altitude também abriu a oportunidade de produzir vinho em partes do mundo nunca imaginadas como a Bolívia e o Himalaia na China. Com vantagens qualitativas e de viabilidade associadas ao cultivo de uvas em grandes altitudes, certamente podemos esperar ver mais rótulos no futuro.


Os consumidores encontrarão cada vez mais vinícolas anunciando "altitude" nos próximos anos. Esse é o código para "dentro desta garrafa está um vinho fresco e vivo", fugindo das consequências do aquecimento global. Mas cuidado, como vimos, é preciso mais do que altitude para fazer um bom vinho!!! Saúde!!!Aproveite para comentar se gostou ou não!!! (baseado em artigos disponíveis na internet)