top of page
  • Foto do escritorMarcio Oliveira - Vinoticias

“DESAFIO ENTRE VINHOS DO VELHO E DO NOVO MUNDO – PARTE I”

Provas de vinhos do Velho e Novo Mundo ajudam a chamar a atenção para a rivalidade entre os aromas e sabores destas regiões. Estamos fazendo uma série de provas neste estilo, comparando vinhos da casta Cabernet Franc que nos reservaram boas surpresas. Nesta semana o artigo revela a comparação entre o Sauvignon Blanc do Velho Mundo e o do Novo Mundo, em especial da Nova Zelândia, que será objeto do nosso roteiro de viagem de novembro de 2024.

O Sauvignon Blanc é cultivado em cerca de 24.000 hectares, em uma área aproximadamente do tamanho do Oregon nos Estados Unidos, que também produz vinhos de uvas que gostam de clima frio.


Na Nova Zelândia é muito conhecida a região de Martinborough, onde você pode encontrar vinhos de todas as qualidades e preços. Embora a Nova Zelândia (NZ) produza apenas 1% do vinho do mundo, ela é conhecida como um dos melhores produtores de Sauvignon Blanc no mundo.


Sete regiões definem os vinhos da Sauvignon Blanc na Nova Zelândia, e você pode aprender as diferenças de sabores e estilos deles. Em geral, o aroma herbáceo é complementado por um suculento toque picante e cítrico na boca, ressaltados por uma alta acidez.


Sabores primários de frutas como o limão, groselha, grapefruit, maracujá, manga, abacaxi, goiaba, capim-limão, grama fresca, pimentão, folha de tomate, feijão verde, pimenta jalapeño serão fáceis de serem encontrados.


A Ilha Norte e Ilha Sul da Nova Zelândia são separadas por um passeio de balsa de 3 horas e meia pelo Estreito de Cook. Essas duas ilhas têm suas próprias geografias e climas que criam vinhos distintos.

 

♦ Sauvignon Blanc da Ilha do Norte - Espere saborear estilos frutados de Sauvignon Blanc por conta do clima mais suave e quente da ilha. É fácil perceber aromas e sabores de frutas de polpa amarela como a nectarina.


A Região da Baía de Hawke, a mais antiga a região produtora de vinhos da Nova Zelândia, mais conhecida por “Merlot Blends”, faz um sauvignon blanc tropical que costuma ganhar cremosidade com o tempo em carvalho.

Na região de Wairarapa (Martinborough), o Sauvignon Blanc é intenso, com aromas de frutas de polpa e nota herbácea de ervas e jalapeño misturado com uma mineralidade fácil de ser percebida.


Na região de Gisborne os vinhos têm aromas e sabores de frutas tropicais como o abacaxi e goiaba branca, com um toque de frutas cítricas.


Uma boa dica é servir os vinhos da Sauvignon Blanc da Ilha Norte a temperatura em torno de 7° C.

 

♦ Sauvignon Blanc da Ilha do Sul - Com uma estação de crescimento longa e mais fria, a Ilha Sul produz vinhos mais pungentes, ácidos e mais crocantes.


A região de Marlborough é a principal área de cultivo de toda a Nova Zelândia e entrega o estilo de referência da Sauvignon Blanc. Os vinhos têm aromas intensos de maracujá, groselha, junto com sabores e aromas de grama. De fato, 90% dos Sauvignon Blanc da NZ, vem de Marlborough.


A região de Nelson fica a noroeste de Marlborough, onde se cria um Sauvignon Blanc mais contido em aromas, que se inclinam para o lado da fruta tropical.


Na região de Canterbury/Waipara, mais ao sul de Marlborough, o Sauvignon Blanc é cítrico com mais mineralidade, acidez e secura.


Já em Central de Otago, a região vinícola mais ao sul do mundo, os Sauvignons Blancs mostram aromas e sabores de maracujá e abacaxi, bastante seco e mineralidade.

 

Dicas sobre como encontrar o melhor Sauvignon Blanc da Nova Zelândia


● SAFRAS PARA VOCÊ PROCURAR E PROVAR: 


2022 - Uma safra de alta qualidade, já que foi um retorno ao normal para a região. Condições ligeiramente quentes ajudaram a nutrir a colheita até o último trimestre de 2021 e, enquanto um frio e molhado fevereiro integrou algumas ameaças possíveis, uma longa temporada de colheita permitiu que os vinhateiros não apenas criassem resultados promissores, mas, felizmente uma safra regular.


2021- Foi uma safra de qualidade. O estresse no início da temporada, incluindo geada, diminuiu os rendimentos em mais de 30%, às vezes dramaticamente mais. A seca levou a uma colheita precoce (fevereiro a março) com cachos concentrados, pequenas bagas e sabores profundos. A qualidade consiste no espectro, de Sauvignon Blanc a Pinot Noir.


2020- Uma estação de crescimento muito seca com alguns pontos frios em Central Otago, a safra em geral teve muito sucesso na Nova Zelândia. Um dos maiores desafios foi a crise de restrições pandêmicas, que ocorreram no país durante o tempo de colheita, deixando muitos produtores sem condições de trabalhar. Uma vez gerenciadas as condições possíveis de realizar a colheita, os vinhos resultaram em qualidade com frutas e maturação concentrada. Tanto os tintos quanto os brancos devem ser impressionantes, já prontos para serem bebidos nos próximos anos.


2019 - Que diferença que um ano faz. Após um estressante ano em 2018 definido por seus altos e baixos pontos meteorológicos, 2019 proporcionou aos produtores e vinhateiros uma mudança bem-vinda de ritmo. As condições ideais quentes e secas prevaleceram durante toda a estação de crescimento, nas duas ilhas, produzindo vinhos de concentração e estrutura ácida com crocância. A colheita foi realizada sob condições perfeitas em um ritmo tranquilo. Os vinhos acabados, tintos e brancos, exibem caráter varietal cristalino e expressivo, álcool moderado e estrutura brilhante e equilibrada. Muitos produtores nas regiões como Marlborough, Gisborne e Central Otago, estão chamando com confiança 2019 de melhor safra da história do país.


2018 - A safra de 2018 foi uma montanha-russa em termos de clima para os produtores da Nova Zelândia. Começou com altas temperaturas recorde que continuaram desde o início da primavera até fevereiro, quando um par de ciclones atacou as ilhas, quebrando a onda de calor, mas também trazendo chuvas torrenciais em alguns lugares. Apesar das tempestades, a colheita na maioria das regiões começou muito mais cedo do que o normal. Os vinhos brancos ficaram generosos, e frescos. Os tintos, particularmente de Central Otago, estão profundamente concentrados graças ao calor do início e no meio da temporada, mas também mantêm equilíbrio e frescura devido ao frio pronunciado pouco antes da colheita. Os produtores estão marcadamente otimistas sobre o que está em garrafa, e a safra definitivamente mostrará seu caráter nos vinhos de maneira mais transparente.


2017- A safra de 2017 foi difícil na Nova Zelândia, especialmente para a Ilha Norte. Duas grandes tempestades no início do meio de abril tiveram consequências devastadoras para as variedades de colheitas tardias. No entanto, muitas variedades, incluindo Chardonnay, foram colhidas antes das chuvas chegarem, e esses são excelentes vinhos. Em Central Otago, em particular, o clima foi melhor, e os vinhos desta região parecem estar entre os melhores para a safra.


2016 - O clima ideal prevaleceu para toda a estação de crescimento em Martinborough, resultando em vinhos de grande textura e pureza para frutas. Eram moderados e secos em Marlborough, produzindo vinhos de estilo clássico para a região de produção mais famosa da Nova Zelândia. Uma estação quente e seca em Central Otago deixou os produtores extremamente felizes com uvas pinot noir totalmente maduras, e os vinhos acabados certamente refletirão essa qualidade. No geral, uma estação de crescimento muito sólida para o país como um todo.


Os vinhos da Nova Zelândia têm fechamento com screw-tap, que os protegem da oxidação, mas a maioria dos Sauvignon Blanc mais comuns da Nova Zelândia deve ser apreciada em torno de até 3 anos após o lançamento no mercado.


É comum a variação dos vinhos na mesma safra, mais fácil de ser percebida em regiões de produção em clima frio. Procure ler as fichas técnicas dos vinhos, já que muitos vinhos têm 6 gramas de açúcar residual (por garrafa), o que torna os vinhos mais suaves, mas muitos Sauvignons Blancs de alta qualidade têm menos de 3 g/l de açúcar residual.


O artigo é um convite a provar os aromas e sabores dos vinhos da Sauvignon Blanc na Nova Zelândia como representante do Novo Mundo. Na próxima semana falaremos do Sauvignon Blanc no Velho Mundo. Saúde!!! Aproveite para comentar se gostou ou não!!! (Este artigo está baseado em material disponível na internet, e minhas considerações em relação ao Concerto e Feira de Vinhos).

Comentários


bottom of page