• Vinotícias - Marcio Oliveira

SAINT FELICIEN CABERNET FRANC 2018 - MENDOZA - ARGENTINA

A linha de vinhos que a Catena rotulada como Saint Felicien existe desde 1960, mas não havia sido exportada para o Brasil de forma regular. Dos 17 rótulos da linha Saint Felicien na Argentina, sete deles estão sendo importados pela Mistral: Malbec, Cabernet Franc, Chardonnay e Sauvignon Blanc, além de um rosé, um espumante brut nature e um branco doce a partir da uva Sémillon.

Como a linha é bem básica na Argentina, os rótulos nunca me chamaram a atenção, até que resolvi provar este Cabernet Franc. Levando em conta que o enólogo Alejandro Vigil, diretor técnico da Catena, trabalha muito bem a casta Cabernet Franc criando ótimos vinhos (prova disto são os El Enemigos), a surpresa é que o vinho elaborado com muito carinho e cuidado, mostra um bom nível de qualidade que superou minha expectativa.

As uvas vêm dos vinhedos La Piramide, a 950 m de altitude, em Agrelo, Luján de Cuyo (onde fica a sede da bodega) e Angélica Sur, a 1.050 m, em Eugenio Bustos, distrito de San Carlos, no vale de Uco. Terminada a fermentação, o vinho permaneceu por 16 meses em barricas de carvalho francesas (90%) e americanas.


Uma curiosidade: o rótulo, de traços corridos, reproduz uma pintura do artista local Carlos Alonso, a mesma que aparecia na garrafa do tinto que inaugurou esta linha da Catena, o Saint Felicien Cabernet Sauvignon em 1963. Aliás, foi o primeiro vinho argentino a mencionar o nome da uva que lhe deu origem. Só para lembrar, naquela época os vinhos do país normalmente eram classificados pela cor – tinto, branco ou rosado. E muitas vezes, não traziam nem a indicação da safra. Felizmente, tudo isso mudou.


A Cabernet Franc da Argentina é uma boa surpresa recente do mundo do vinho, criando tintos elegantes e complexos. Creio que o Saint Felicien é uma das opções em custo-benefício entre os Cabernet Franc argentinos.


As uvas têm origens nos vinhedos de La Piramide, Agrelo, Lujan de Cuyo (950m de altitude) e Angelica Sur, San Carlos (1050m de altitude).


● Corte de uvas: 100% Cabernet Franc. Maturado por 16 meses carvalho francês (90% do vinho) e carvalho americano (10% do vinho).


● Notas de Degustação: cor rubi vermelho profundo. Os aromas mostram toques de cassis intensos, cereja e ameixa, em meio a tabaco e pimenta, com algo floral e de mentol, combinados com pimenta-do-reino e cravo, revelando muita complexidade. A madeira suaviza as notas vegetais que muitas vezes aparecem nos Cabernet Franc. Médio encorpado, tem taninos maduros, macios e com bom frescor. Na boca é um vinho rico, longo e complexo, com um final persistente. Um Cabernet gostoso de beber, e que pede para se ter uma segunda garrafa por perto.


● Estimativa de Guarda: Ainda se mostra jovem, com estrutura para melhorar com a guarda de mais alguns anos de adega, mas já pode ser bebido. Pode ir tranquilamente por mais 5 anos de guarda (até 2026).


Notas de Harmonização: Perfeito para harmonizar com carnes vermelhas grelhadas ou assadas, aves de carne escura, massas com ragu. No nosso caso, escoltou muito bem um caldo de abóbora com frango desfiado.


Serviço: servido entre 16 e 17ºC, numa taça grande estilo Bordeaux.


Faixa de Preço – $$


Em BH: MISTRAL - Rua Cláudio Manoel, 723 - Savassi - BH. Tel.: (31) 3115-2100