top of page
  • Foto do escritorMarcio Oliveira - Vinoticias

“DESAFIO ENTRE VINHOS DO VELHO E DO NOVO MUNDO – PARTE II”

Continuando o relato das provas de vinhos do Velho e Novo Mundo que ajudam a chamar a atenção para a rivalidade entre os aromas e sabores destas regiões, agora focaremos na comparação de rótulos da casta Cabernet Franc que nos reservaram boas surpresas.

A Cabernet Franc é uma uva vinífera tinta que segundo pesquisas genéticas, é originária da região do País Basco – uma área geográfica situada entre os limites da Espanha e da França.

É uma das uvas mais importantes em Bordeaux, onde divide o protagonismo com as também tintas Cabernet Sauvignon e Merlot e, ainda na França, é a principal uva tinta de uma região especializada em fazer Cabernet Franc como um vinho monovarietal: o Vale do Loire.


A casta Cabernet Franc já foi uma das principais uvas da região francesa de Bordeaux. Também conhecida como “bouchet” em Saint-Émilion, a casta é mencionada pela primeira vez na região no século I. Hoje essa variedade de uva aparece em cortes com a casta Cabernet Sauvignon e a uva Merlot, dando origem ao famoso corte bordalês, muito celebrado na região que lhe conferiu o nome.


Pouco se sabe sobre os pais da Cabernet Franc, mas é sabido que a uva tem duas “filhas” extremamente famosas entre os apreciadores de vinhos. Uma delas é a Merlot, que foi originada pelo cruzamento entre a Cabernet Franc e a Magdeleine Noire des Charentes, uma variedade antiga e pouco conhecida. A outra é a Cabernet Sauvignon, que nasceu através do cruzamento natural entre a Cabernet Franc e a Sauvignon Blanc.


O parentesco entre a Cabernet Franc e Cabernet Sauvignon nos explica por que os vinhos dessas uvas muitas vezes são confundidos: eles compartilham muitos dos mesmos atributos. Mas, mesmo que de forma sutil, existem algumas diferenças entre a Cabernet Sauvignon e a Cabernet Franc. Em sua melhor expressão, o vinho Cabernet Franc pode ser mais elegante que o Cabernet Sauvignon, possuindo menor corpo e menor presença herbácea. O Cabernet Sauvignon é um vinho mais intenso, seja na cor, nos aromas e na estrutura.


Outra uva que por vezes acaba sendo comparada à Cabernet Franc é a Carménère, principalmente por sua nota vegetal que lembra bastante a pimentão verde.


O cacho da uva Cabernet Franc possui tamanho pequeno e cor violeta acentuada. Os bagos da casta são extremamente delicados e com formato redondo. A uva é muito cultivada na França, mas é utilizada na elaboração de vinhos extraordinários no Norte da Itália, no Vale do Maipo localizado no Chile e no Vale dos Vinhedos no Brasil, onde já foi muito importante nas décadas de 1970 e 1980, contudo boa parte de seus vinhedos cederam lugar a outras uvas, principalmente a Cabernet Sauvignon e a Merlot.


Atualmente, por conta da atenção dada a casta já é possível encontrar excelentes rótulos brasileiros entre os quais os da Valmarino, Churchill, Don Guerino, Lídio Carraro, Luiz Argenta, Casa Marques Pereira, Otto, Pizzato, Casa Valduga, Casa Geraldo, Luiz Porto, Foppa & Ambrosi, Cão Perdigueiro, Miolo, Amitié, Almaúnica, Calza, Casa Fontanari, entre outros.


A uva Cabernet Franc amadurece cedo, podendo ser cultivada em regiões de clima quente ou frio. A casta com o tempo perdeu muito espaço para as uvas Merlot e Cabernet Sauvignon na elaboração de vinhos tintos em Bordeaux, onde aparece como casta solitária no ícone Cheval Blanc.

 

DICAS DE HARMONIZAÇÕES COM VINHOS DA CABERNET FRANC - Com base nas características de seus vinhos varietais, essa uva vai bem com pratos de peso médio ou leve, como carne vermelha grelhada ou assada sem molhos densos, por exemplo: filé mignon assado com manteiga e ervas finas, lombo de cordeiro assado ao molho de hortelã, pimentões recheados com carne moída, sopa de lentilhas com presunto defumado, escalope de avestruz com risoto de funghi secchi.

 

A PROVA DOS CABERNETS FRANCS – ao longo da degustação realizada às cegas (ou seja, sem conhecimento dos rótulos), tínhamos interesse por verificar numa mesma vinícola, ou região como os vinhos se mostravam (se refletiam o seu terroir, se eram mais frutados ou terrosos, se envelheciam bem – já que um dos Cabernets Francs era de 2013. Um detalhe importante, atualmente uma região na qual se encontra grandes vinhos da casta é Mendoza, e, portanto, o maior volume de rótulos era argentino. E o resultado foi muito interessante. Vamos aos vinhos:

 

SAINT FELICIEN CABERNET FRANC 2019 - A Cabernet Franc da Argentina é talvez a mais grata surpresa recente do mundo do vinho, originando tintos elegantes e complexos, comparáveis aos melhores exemplos desta uva de todo o mundo. A Catena Zapata é uma das maiores referências nesta casta e o Saint Felicien um dos maiores achados entre os Cabernet Franc argentinos. Trata-se de um tinto com bom volume e taninos sedosos. Rico, com muitas notas de frutas escuras maduras (ameixa), de boa complexidade. Amadurece por 16 meses em 90% carvalho francês e 10% carvalho americano. Tem potencial de guarda de 5 a 10 anos. Importado pela Mistral.

 

EL ENEMIGO CABERNET FRANC 2016 – produzido pelo enólogo da Catena - Alejandro Vigil é provavelmente um dos grandes especialistas na casta Cabernet Franc da Argentina. O El Enemigo é um tinto elegante e encorpado, de grande profundidade de fruta. Corte de Cabernet Franc (92%) e Malbec (8%). Aromas e sabores de frutas vermelhas com notas de madeira e tabaco. Maturado 16 meses em barricas de carvalho francês, sendo 20% novas. Tem potencial de guarda de 15 anos. Mas se você gostar de sabores frutados não espere este tempo todo. Importado pela Mistral.

 

BAUMARD CLOS DE LA FOLIE 2018 – Ao contrário do rótulo original, que é uma coleção de muitas citações sobre a loucura, o vinho é facilmente decodificado como ele é, construído sobre um prazer gourmet. Estiloso e consistente, é a expressão de um bom vinho tinto do Loire. Só é produzido em determinados anos. Corte de Cabernet Franc e Cabernet Sauvignon, elaborado por maceração carbônica e passagem para maturação por 9 meses em inox. Potencial de guarda de 5 a 10 anos. Importado pela Mistral.

 

ANGELICA ZAPATA CABERNET FRANC ALTA 2013 – Angelica Zapata Cabernet Franc é uma prova de que a Argentina não se resume apenas à Malbec. A Cabernet Franc origina vinhos fantásticos no país, principalmente nas mãos da Catena. O vinho mostra muita elegância. Longo, persistente e com potencial de guarda de mais de 10 anos, o vinho que estagiou 18 meses em barricas de carvalho francês, mostrando um estilo que lembra alguns dos famosos vinhos de St Emilion em Bordeaux, com uma pronunciada elegância. Mostrou que a casta envelhece bem, criando um vinho elegante. Importado pela Mistral.

 

GARZON PETIT CLOS BLOCK #560 CABERNET FRANC 2017 – Com aromas de frutas vermelhas e pretas maduras, como cerejas, amoras e ameixas, notas de especiarias, como pimenta-preta e cravo-da- Índia, além de toques terrosos, de tabaco, chocolate e couro, este vinho uruguaio produzido pela Garzon, mostrou que nem só de Argentina vive a Cabernet Franc. Encorpado, com taninos firmes e ótima acidez. Seu final de boca é marcado por frutas vermelhas e pretas maduras, como cerejas e amoras, tabaco e toques de chocolate, passou 12 meses em barris de carvalho francês 2500 e 5000 litros. Importado pela World Wine.

 

VALMARINO CHURCHILL CABERNET FRANC 2020 – A Linha Valmarino & Churchill nasceu em 2006 e hoje conta com quatro produtos, sendo eles dois espumantes e dois vinhos.

O primeiro vinho lançado foi o Cabernet Franc 2006, em 2009 lançaram os espumantes com o diferencial da passagem do vinho base em madeira e por fim em 2014, lançaram o Terço, uma união dos 3 melhores vinhos da safra. Nesta parceria, Nathan entra com as barricas de carvalho, (ele é fornecedor de barricas no Brasil). E a Valmarino entra com a matéria-prima, mão-de-obra e produção com vinhedos em Pinto Bandeira - RS. O vinho surpreende pelos seus aromas e sabores refinados. Os aromas são complexos e o paladar aveludado. Recomendo ter uma segunda garrafa por perto. Potencial de guarda de 20 anos. Pode ser adquirido no site do produtor https://valmarino.com.br/

 

GRAN ENEMIGO AGRELO SINGLE VINEYARD 2019 – O Gran Enemigo Single Vineyard Agrelo leva a assinatura da Bodega Aleanna, o projeto de Alejandro Vigil, enólogo-chefe da vinícola Catena Zapata, com Adrianna Catena, filha mais nova de Nicolás Catena. Produzido com um corte das uvas Cabernet Franc e Malbec, revela no nariz, aromas de frutas negras maduras, como amora e ameixa, notas herbáceas de eucalipto e mentol, além de toques de chocolate e baunilha. Um vinho equilibrado e elegante. Tem um excelente potencial de guarda, podendo envelhecer na garrafa por mais de uma década. Importado pela Mistral.

 

TENUTA MERAVIGLIA MAESTRO DI CAVA - BOLGHERI SUPERIORE 2017 – Um vinho criado por Alberto Antonini a partir de vinhas de Cabernet Franc plantadas em solos vulcânicos, Maestro di Cava revela todo o poder e estrutura de Bolgheri. Estagiando durante 24 meses em barris de carvalho, revela notas de frutas vermelhas e pretas maduras, como cerejas, ameixas e amoras, notas herbáceas e de especiarias, como pimenta-preta e cravo-da-Índia, além de toques de tabaco, terrosos e de cacau. Encorpado, com taninos firmes e ótima acidez. Seu final é marcado por frutas pretas maduras, especiarias, além de toques de chocolate e cacau. Maturado por 24 meses em bottis de carvalho francês (toneis de 1300 litros neste caso) sem tosta e 3 meses em garrafa antes de ir ao mercado. Potencial de guarda por 15 anos. Importado pela World Wine.

 

CONCLUSÕES SOBRE AS COMPARAÇÕES ENTRE OS VINHOS DA CABERNET FRANC – Costumo dizer que sendo servidos belos vinhos, não nos interessava saber quem era o mais pontuado, ou o melhor. Prefiro nas nossas degustações eleger qual o vinho que foi o mais surpreendente, o vinho que mais gostaram e a surpresa veio com o Valmarino Churchill, seguido pelo Gran Enemigo Agrelo Single Vineyard. O que mostra que os vinhos brasileiros podem surpreender a muita gente.

 

O artigo é um convite a provar os aromas e sabores dos vinhos da Cabernet Franc. Na próxima semana falaremos do embate de grandes vinhos do Velho e Novo Mundo, apelidado de Desafio de BH. Saúde!!! Aproveite para comentar se gostou ou não!!! (Este artigo está baseado em material disponível na internet, e minhas considerações em relação ao Concerto e Feira de Vinhos).

Comments


bottom of page