top of page
  • Foto do escritorVinotícias - Marcio Oliveira

LA CAMPOLA TEMPRANILLO 2019 QUINTA DO CAMPO ALEGRE – DIAMANTINA/MG - BRASIL

As atividades vitivinícolas da Quinta do Campo Alegre começaram em 2011 com o plantio de um módulo experimental para avaliar o potencial de produção de vinhos na região. A vinícola Quinta do Campo Alegre está localizada em Diamantina/MG. O vinhedo está em uma altitude de 1.400 metros.

Deve-se levar em conta que a região de Diamantina já foi um polo de produção vinícola após a chegada da coroa portuguesa ao Brasil, sendo muito significativa até meados do século XX.


Vinhedos em Diamantina existem desde o século 18, há mais de 200 anos. A cidade também se destaca na produção de cafés e oliveiras, culturas favorecidas por sua altitude, 1280 metros acima do nível do mar e temperaturas amenas, em média 18ºC. Diamantina é uma das cidades mais frias de Minas Gerais, com um inverno bem rigoroso e seco. Clima mais que propício para a produção de uvas.


No final do século XIX e início do século XX, a produção de vinhos em Diamantina teve um rápido crescimento, levando o Governo do Estado a criar no município uma estação enológica, que existiu na cidade até a década de 1970 (depois ela foi levada para Bento Gonçalves/RS). Com a crise econômica de 1929, a produção de vinhos na região sofreu uma queda enorme, se limitando a poucas famílias, basicamente produziam para consumo próprio ou para algumas vendas.


A cidade de Diamantina está situada numa área emoldurada pela Serra dos Cristais, na região do Alto Jequitinhonha. O município é banhado pelo rio Jequitinhonha e vários de seus afluentes, como o Ribeirão das Pedras e o Ribeirão do Inferno. Localizada no alto da Serra do Espinhaço, a mais antiga formação rochosa do Brasil, Diamantina está cercada por belas formações rochosas. Apresenta planalto irregular, com poucas áreas planas, o que favorece o surgimento de belas cachoeiras. A topografia de Diamantina é predominantemente montanhosa, sendo que a paisagem vai ganhando as cores dos vinhedos.

A técnica de condução dos vinhedos é a de dupla poda, com produção dos chamados “vinhos de inverno”, uma vez que a colheita se dá em junho/julho, durante o período de seca, com clima mais ameno e permitindo uma maturação perfeita das uvas. Desta forma a agregação de açúcar e compostos nas bagas de uvas potencializam vinhos mais intensos e de qualidade. A uva Tempranillo que se adaptou muito bem a região.


● Corte de uvas: 100% Tempranillo.


● Notas de Degustação: Vinho de cor rubi intenso. No aroma traz cereja e ameixa madura e especiaria doce da baunilha (tem passagem de 6 meses por madeira de segundo uso para o carvalho não predominar sobre as frutas). Na boca mostra taninos macios, com boa acidez, repetindo os aromas. Tem corpo médio, boa persistência e muita elegância, com uma acidez bem pronunciada.


● Estimativa de Guarda: pronto para beber mas poderá evoluir por mais 2 anos em guarda.


● Notas de Harmonização: vai muito bem com carnes vermelhas grelhadas como no churrasco, carnes e frios defumados, massas com creme de cogumelos, picanha suína com batatas rústicas, queijos semiduros.


Serviço: servir entre 15 e 17ºC (Beba numa taça grande de Bordeaux).


Faixa de Preço – $$


PARA COMPRAR – Quinta do Campo Alegre: Instagram - @quintadocampoalegre – Contatos com Ana Julia: 38-99136-0306.

Comments


bottom of page