top of page
  • Foto do escritorMarcio Oliveira - Vinoticias

“O JAPÃO E SEUS VINHOS”

O vinho não é uma coisa nova para os japoneses. As primeiras uvas teriam sido trazidas da China no Séc. VII.

No Japão, o vinho remonta a Gyōki, o eremita do Séc VIII que plantou vinhas no Templo Daizen. O consumo de vinho foi observado pela primeira vez pelos moradores japoneses quando os padres jesuítas de Portugal chegaram em Nagasaki no século XVI (1545). Os habitantes locais que praticavam o cristianismo foram seduzidos pelo seu sabor, tornando a importação de vinhos algo muito popular, já que as uvas japonesas criavam vinhos “intragáveis”.


No entanto, não seria até o período de Meiji, quando o isolacionismo feudal do Japão terminou, que a vinificação se tornaria uma atividade efetiva. Uma indústria principiante do vinho enviou dois ex-samurais, Tsuchiya Ryuken e Takano Masanari, para estudar a vinificação na França, em 1877. Graças aos pioneiros que retornavam de suas viagens na Europa com mudas de videira e conhecimento de vinificação em mãos, nasceu uma indústria mais estabelecida e organizada.


Na era pós-guerra, a vinificação realmente decolou no Japão e a demanda por vinhos japoneses começou a crescer. O consumo de vinho começou com a abordagem da ocidentalização no Japão. Mas não era tão popular, pois não se adequava à dieta centrada no arroz seguida pelos japoneses.


Os vinhos doces que foram feitos especialmente para se adequar ao gosto japonês eram populares como uma bebida revitalizante, e o consumo do vinho aumentou no Japão após as Olimpíadas de Tóquio em 1964, quando a comida se tornou mais ocidentalizada.


O consumo de vinho aumentou rapidamente depois e, em 2014, o consumo anual de vinhos no Japão teve um aumento de 54% em uma década.


O vinho foi consumido principalmente pelos japoneses ao comer cozinha ocidental, incluindo pratos italiano, francês e espanhol, mas como o vinho japonês é o ideal para cozinhas japonesas, muitos japoneses gostam de comer sushi, tempura, teppanyaki (bife) ou sukiyaki bebendo vinho nacional. Os enólogos inovadores cultivaram com sucesso espécies de uvas e vinhos adequados ao paladar japonês. Isso atingiu seu auge nos anos 70 e 80 e, desde então, os vinhos japoneses são uma promessa crescente, tanto nacional quanto internacionalmente.


♦ REGIÕES DE PRODUÇÃO DE VINHO NO JAPÃO - Embora a vinha tenha se espalhado por todo o Japão, uma das maiores dificuldades dos vinicultores japoneses não é tanto o mercado, mas o terreno. O espaço para agricultura no país não é vasto e, para complicar ainda mais, o tipo de solo e o clima estão longe de serem ideais para o plantio de uvas. Há três regiões principais produtoras de vinho no Japão, as de Yamanashi, Nagano e Hokkaido.


● YAMANASHI - tem sido um prolífico produtor de uvas para vinho no Japão e representa quase um terço da produção nacional. A produção de vinho em Yamanashi também tem uma longa história de 150 anos. De fato, Yamanashi foi a primeira região do Japão a produzir vinho em 1877, graças aos pioneiros que trouxeram técnicas de vinificação da Europa no período Meiji.


A região de Yamanashi fica no sopé do Monte Fuji, e a área mais famosa de cultivo de uvas viníferas é a cidade de Katsunuma. Com rico solo vulcânico e umidade relativamente baixa, o potencial da região vinícola está bem estabelecido há mais de um século. Afinal, foi aqui que a primeira vinícola do Japão foi aberta em 1877 (hoje faz parte do Grupo Mercia Wine no Japão). A região conta com cerca de oitenta vinícolas, é uma das principais produtoras de vinho no país.

A uva "Koshu" da região, é particularmente amada pelos enólogos japoneses, pois seu sabor levemente ácido cria vinhos que combinam perfeitamente com a culinária japonesa tradicional - Sashimi e Sushi em particular. A Koshu é uma uva de casca rosada que rende vinhos brancos secos e suaves. Uma variação destas uvas foi trazida para o país há um milênio, embora pesquisadores não consigam concluir qual sua origem exata. Um resultado do teste de DNA mostrou que é a uva Koshu é um híbrido entre uma variedade européia de uva e uvas autóctones chinesas, sendo uma casta de Vitis vinifera.


Hoje, a variedade nativa Koshu e as uvas internacionais Chardonnay, Merlot e Cabernet Sauvignon dominam a produção de vinho japonesa, embora apenas uma em cada cinco garrafas seja feita de uvas japonesas frescas. Essas são cultivadas principalmente nas principais províncias vinícolas de Yamanashi, Nagano e Hokkaido.


Outra varietal típica do país é a Muscat Bailey A, que produz vinhos tintos. Esse tipo de uva foi criada nos anos 1920 por Kawakami Zenbei, considerado por muitos o “pai” dos vinhos japoneses. Foi ele quem começou a selecionar uvas que fossem capazes de enfrentar o clima cruel do país, com neve forte e chuvas pesadas.


A cidade de Katsunuma fica a apenas uma hora de passeio de Tóquio, tornando os vinhos produzidos no vale de Koshu (daí a origem do nome da uva Koshu) uma escolha muito comum dos sommeliers dos restaurantes locais. Há um grande número de vinícolas locais para serem visitadas.


● NAGANO - a região é outra produtora considerável de vinhos no Japão. Além das vinícolas, Nagano já tem uma reputação nacional de cultivar uvas deliciosas para sobremesas, principalmente a famosa uva "Kyoho". Como Yamanashi, sua história de vinificação remonta ao longo de um século, com a primeira vinícola na região criada em 1902.


Existem quatro áreas em Nagano que produzem vinho, e que possuem o mesmo tipo de solo, alta altitude e temperaturas frias que Yamanashi. O que é único em Nagano, no entanto, é que seu clima se presta muito bem ao cultivo de uvas viníferas européias, como Merlot, Cabernet Sauvignon e Chardonnay. Sendo assim, é de se esperar que muitos dos vinhos criados em Nagano tenham rótulos com um nome conhecido por amantes de vinhos.


● HOKKAIDO - com seus invernos gelados, o Hokkaido pode ser o último lugar que você esperaria encontrar vinhedos! Mas o clima de Hokkaido é extremamente próximo das famosas regiões de cultivo de vinhos da França, como Champanhe e Alsácia.


Com baixa umidade durante todo o ano e grandes gradientes de temperatura entre dia e noite, que reforçam o teor de açúcar natural de frutas e vegetais, Hokkaido é um lugar surpreendentemente perfeito para cultivar uvas viníferas. Quando o desenvolvimento da vinicultura começou em Hokkaido nos anos 70 e 80, a maioria dos produtores escolheu variedades de uvas alemãs resistentes ao clima, como a Kerner ou a Zweigelt. Com as mudanças climáticas, no entanto, as vinícolas de Hokkaido descobriram que podem plantar espécies francesas como Pinot Noir.


Dentro de Hokkaido, as duas principais regiões produtoras de vinho são Yoichi e a região de Furano. Os vinhos de Yoichi tiveram um grande sucesso nos últimos anos, com alguns prêmios obtidos em concursos internacionais de vinhos. Nas duas áreas, existem várias vinícolas que você poderá visitar para provar vinhos. Muitas vinícolas têm restaurantes próprios que permitirão provar o vinho com uma harmonização perfeita com as refeições.

♦ O TEMPLO DA UVA - Se você realmente quer ter uma imersão em vinhos japoneses, a recomendação é visitar Daizenji em Koshu, na região de Yamanashi. Daizenji é frequentemente conhecido como "o templo da uva". Diz-se que fica no local onde o cultivo de uvas começou no Japão no século VIII. A lenda conta que o monge que fundou o templo criou medicamentos quando Buda apareceu para ele, segurando um cacho de uvas. Além de sua conexão com o plantio de uvas em Yamanashi, é um templo espetacular com um salão principal que tem quase mil anos. E, é claro, você pode ver o Buda por si mesmo (embora o que está em exibição seja apenas uma réplica do original que fica guardado em segurança). Não há melhor maneira de mostrar seu apreço pelos vinhos japoneses do que ir a um lugar onde eles são sagrados!


Muitos críticos de vinhos se surpreendem como os enólogos japoneses tenham usado técnicas de vinificação antigas e tenham aplicado suas próprias inovações para criar um novo mundo de vinhos que não apenas conseguiu prender a atenção de sua própria nação, mas também o mundo em geral.


Atualmente, os vinhos produzidos no país são divididos em três categorias: Kokunaisan, rótulo 100% nacional; Kokusan, feito com uvas importadas, mas fermentado no Japão, e Yunyu, é produzido em outros países e apenas engarrafado no Japão. O país ainda não tem um selo de origem controlada nacional, embora algumas regiões já tenham certificados que garantem que os rótulos são mesmo produzidos no local.


A principal característica do vinho japonês é sua diversidade. Vinhos com vários sabores estão sendo produzidos a partir de uma ampla gama de uvas, incluindo variedades autóctones do Japão, cruzamentos americanos de Vitis Labrusca e, mais recentemente, de vinhos criados com a Chardonnay, Cabernet Sauvignon e Merlot.


Um alerta, entretanto, é importante, muitos vinhos japoneses são voltados para o paladar japonês. O peixe é uma grande parte da culinária japonesa, por isso é lógico que os vinhos japoneses combinam maravilhosamente com qualquer prato de peixe, ou frutos do mar.


Então, sentiu vontade de provar um vinho japonês? Saúde !!! Aproveite para comentar se gostou ou não!!! (Este artigo está baseado em material disponível na internet, e minhas considerações em relação as pesquisas).

Comments


bottom of page