top of page
  • Foto do escritorMarcio Oliveira - Vinoticias

“OS VINHOS DO JURA”

Lembrando do ditado que os melhores perfumes vem nos menores frascos, o Jura é uma pequena região vinícola no leste da França, responsável por alguns estilos de vinho tradicionais e altamente peculiares, o que isso não significa que eles são menos ricos ou variados em relação a outras regiões famosas da França.

A região está imprensada entre a Borgonha no oeste e a Suíça, no leste. É caracterizada por uma paisagem de encostas arborizadas e a topografia torcida das montanhas Jura.


Os vinhedos de Jura cobrem pouco mais de 1.850 hectares (4.570 acres), formando uma estreita faixa de terra medindo quase 80 quilômetros de norte a sul. A área total está aumentando constantemente, mas ainda representa menos de um décimo da área de vinhas que havia na região há dois séculos, quando a filoxera chegasse e dizimasse os vinhedos locais.


Os vinhos de Jura são classificados sob cinco apelações principais. O mais quantitativamente importante deles são Arbois e Côtes du Jura.


● Variedades principais de uvas e estilos de vinho


Cinco variedades principais de uva são usadas nos vinhos da região - três tradicionais e duas modernas. A primeira das variedades locais é o Poulsard (ou Ploussard, como é conhecido nas Comunas de Arbois e Pupilina), uma uva tinta que representa cerca de um quinto das plantações da região. Poulsard é usado principalmente em vinhos tintos secos, e também em vinhos de rosés brilhantes.


Trousseau, a outra variedade tinta local, requer altos níveis de sol para amadurecer adequadamente e cobre apenas os 5% mais quentes das vinhas de Jura. É cultivado principalmente em torno de Arbois, onde produz uma pequena quantidade de vinhos varietais.


A Savagnin branca é usada em todas as denominações da região. É responsável pelos peculiares Vins Jaunes (“Vinhos Amarelos”). Estes são vinhos secos de longa vida envelhecidos em barris sob uma camada de flor/levedura conhecida como Le Voile (lembrando o estilo dos vinhos de Jerez).


Os Jaunes Vins podem ser feitos sob os Arbois (incluindo Arbois-Pupilin), L'Etoile e Côtes du Jura, algumas das apelações do Jura. No entanto, eles estão no seu melhor rótulo em Château Chalon.


Dizem que Vin Jaune nasceu por acaso devido a um barril esquecido em um porão. Apelidado de "O Ouro do Jura", é um dos maiores vinhos brancos do mundo. Feito exclusivamente a partir da uva Savagnin, é mantido em barris de carvalho por pelo menos seis anos e três meses, sem nenhuma intervenção do enólogo. É essa fermentação que causa seus aromas intensos de nozes, avelãs, amêndoas e especiarias. Em seguida, é colocado em uma garrafa de típica – chamada de Clavelin, uma garrafa especial de 62 centilitros. Seu processo de fermentação está no centro dos estudos sobre a conservação de vinhos de Louis Pasteur, um cientista nasci no Jura, conhecido por ter desenvolvido a vacina contra a raiva.

Juntamente com seu Vin Jaune, o Jura é conhecido tradicionalmente por seu doce Vin de Paille feito de uvas secas. Eles são produzidos sob as mesmas apelações, exceto Château Chalon.


No Jura, Vin de Paille é uma especialidade única! A produção deste vinho doce com aromas de frutas cristalizadas, mel, caramelo e geléia segue especificações muito precisas. Primeiro, os mais belos cachos de Chardonnay, Savagnin, Poulsard e Trousseau são deixados para secar por três meses. Em seguida, as uvas são pressionadas e o mosto obtido é deixado para fermentar por cerca de três meses. Quando atinge entre 14,5 e 17 ° de álcool, o vinho é colocado em barris, onde envelhecerá por três anos antes de ser provado.


Apesar do relativo isolamento da região de Jura, a uva Chardonnay fez incursões por aqui, como está em outros lugares da França, e agora representa quase metade da vinha total de Jura. Conhecida localmente como Melon d'Arbois e Gamay Blanc, é mais frequentemente usado para fazer vinhos em um estilo mais fresco, mais frutado e moderno.


Tinto, branco, amarelo, a paleta de vinhos Jura não estaria completa sem os espumantes e suas bolhas finas. Os Cremants de Jura podem ser feitos com as cinco variedades de uvas presentes na região. As uvas usadas para fazer Crémant du Jura devem ser colhidas manualmente e depois transportadas em caixas perfuradas para impedir que seu suco oxidasse. Os cachos são levados inteiros à prensa. Posteriormente, o Crémant passa por uma dupla fermentação, de acordo com um método que remonta ao final do século XVIII: o primeiro em cubas ou barris e o segundo em garrafas. Agora eles são produzidos a partir de cerca de 210 hectares (520 acres) de vinhedos, sob a denominação Crémant du Jura introduzida em 1995, e são excelentes espumantes de forma geral.


Produzidas a partir das variedades de uva Chardonnay e Savagnin, os vinhos brancos do Jura são divididos em duas categorias: floral, mais sutil e refinado e "tradicional", mais poderoso. Para obter o primeiro, os vinícolas usam o método Ullage, que consiste em encher o barril enquanto o vinho evapora para impedir que ele entre em contato com o ar. Para obter o último, o vinho está em contato com o ar, criando uma fina camada de fermento na superfície. Isso resulta em um vinho com aromas mais intensos, nos quais são expressos o poder do Savagnin e a requinte dos Chardonnay.


Menos conhecido em comparação com outras especialidades culinárias da região, como salsicha Morteau, carnes frias, queijo Comté ou queijo Morbier, os vinhos tintos do Jura são igualmente deliciosos. Com uma cor de rubi leve que às vezes faz com que pareça rosé, temos o Trousseau, mais tânico e fortemente colorido, distinguido por seu aroma de frutas vermelhas, especiarias e pimenta moída fresca. Finalmente, o Pinot Noir colorido e robusto geralmente combina bem com a gastronomia local, trazendo um aroma de frutas vermelhas com uma nota picante.


● UVAS DO JURA


♦ Chardonnay - A famosa uva branca da Borgonha é onipresente no Jura. Devido à sua versatilidade, Chardonnay é a uva mais amplamente plantada aqui e grande parte dela entra no vinho espumante local.


♦ Savagnin - Esta uva branca antiga é o orgulho de Jura e é o que faz o seu famoso Vin Jaune. Quando jovem e fresco, possui características florais e minerais. Quando oxidado, ele assume complexidade picante e noz. Esta uva também é conhecida como Traminer, onde também é cultivada em toda a Europa Central.


♦ Pinot Noir - Como Chardonnay, essa uva é mais conhecida como a uva tinta da Borgonha. Em Jura, é frequentemente usado em misturas tintas, embora você possa encontrá-lo como varietal. O Pinot aqui tende a ser pálido e terroso.


♦ Poulsard - Também chamado de Ploussard localmente, essa uva tende a ser pálida e leve, fazendo vinhos perfumados e equilibrados. Poulsard é a segunda uva mais plantada após Chardonnay. É frequentemente usado para adicionar um pouco de cor aos rosés.


♦ Trousseau - Essa uva tinta tardia compõe apenas uma pequena quantidade de plantações em Jura, mas é considerada prestigiada. A grafia Trusseau também é encontrada. Oferece mais estrutura e poder do que as outras duas uvas tintas e pode ser picante e complexa.


CONDIÇÕES DO VINHEDO DO JURA


O período jurássico recebeu o nome de Jura, porque as montanhas de calcário da região são representativas dos desenvolvimentos geológicos que ocorreram entre 145 milhões e 200 milhões de anos atrás. Os principais tipos de solo aqui são o calcário jurássico e Marl.


Diz-se que o nome de L'Etoile, que abriga uma das denominações mais distintas de Jura, derivado dos fósseis marinhos em forma de estrela que caracterizam seus solos ricos em calcário (etoile é 'estrela' em francês). A região de Chablis e o Vale do Loire superior são construídos em uma estrutura geológica semelhante.


O clima de Jura não é diferente do da Côte d'Or, ou mesmo do sul da Alsácia, com verões quentes e relativamente secos e invernos frios. A variação entre os locais do vale e da encosta das montanhas é bastante pronunciada.


Enquanto as áreas orientais e montanhosas de Jura atingem alturas acima de 1.350m, a principal região de cultivo de vinha é restrita à terra ligeiramente baixa no oeste, com média de 300m. A maioria das videiras de Jura é plantada em encostas voltadas para o sul, para aproveitar ao máximo o sol nesse clima mais frio.


APELAÇÕES DO JURA


♦ Côtes du Jura - Côtes du Jura é a mais ampla das denominações regionais e produz todos os diferentes tipos de vinho. Vinhos tintos, brancos, rosé, brilhantes, doces e fortificados incluídos neste AOC.


♦ Arbois - Arbois é a denominação regional mais famosa de Jura e recebeu o nome da deliciosa vila em seu centro. Arbois pode ser qualquer estilo e feito com qualquer uma das cinco uvas da região.


♦ Château-Chalon - Esta pequena colina única é uma denominação regional muito especial e de prestígio que produz apenas o melhor vin Jaune a partir de Savagnin. Ele só é feito nos melhores anos e de uma forma verdadeiramente única e especial.


♦ L'Étoile - Ainda menor que o Château-Chalon, L'Etoile é uma denominação regional verdadeiramente nicho. Esta pequena área produz pura ou principalmente chardonnay no estilo oxidativo e também faz Vin de Paille e Vin Jaune.


● Recomendações disponíveis - O Jura é uma região mágica com vinhos realmente interessante! Essa área está se tornando cada vez mais popular entre sommeliers e amantes de vinhos diferenciados, à medida que as pessoas descobrem sua gama dinâmica de vinhos. Eu recomendo experimentar o Domaine Jérôme Arnoux, Domaine Rolet e o Domaine Gerard Villet para ter uma noção do local, mas há muito mais produtores bons na região.


Saúde!!! Aproveite para comentar se gostou ou não!!! (Este artigo está baseado em material disponível na internet, e minhas considerações durante a prova dos vinhos e pesquisas).

Comments


bottom of page